Posts com a tag poesia

  • avatar

    Ode ao Tejo

    Folhasdeluar, em folhasdeluarhá 5 horas

    Todos os dias aqui me sento...a ver-te Todos os dias aqui me sento...a amar-te Todos os dias aqui venho... querer-te Todos os dias aqui venho... procurar-te   Todos os dias me sento aqui ...sozinho Neste banco junto a ti... desafogado E todos os dias tu és o meu caminho E eu...sou (...)

    Ler mais
  • avatar

    AMOR NA MANHÃ

    Sandra, em cronicassilabasasoltahá 5 horas

      Despe-se, a poesia, em palavras de cálida luz, pausada em livre manhã. É cetim escorregadio, macio, doce o poema, que desliza do corpo solto, encantado, aberto em rimas. Sentimentos translúcidos deitam-se na claridade que embala vontades, e afetos esfumam-se em desígnios (...)

    Ler mais
  • avatar

    Se eu pudesse

    Isa Nascimento, em isanascimento29/10/2020 às 10:31

    Pudesse eu desligar-me de ti Sem hesitar o faria Pudesse eu rir na tua ausência Abençoadas gargalhadas soltaria   Contentar-me-ia com o sol distante Que a todos alumia Mas sem a estrela que me guia Ficaria perdida no firmamento Cega, nem o sol me valeria   Agosto de 2017  

    Ler mais
  • avatar

    Respirar a Rotina

    Parva Samarra, em parvasamarra28/10/2020 às 18:00

    Nos dias menos maus, Chego a ser feliz, e tal. Mas quando olho em redor, Vejo que já sei tudo de cor. Já sei tudo o que vou fazer, Já sei tudo o que vou dizer. Mas a rotina até não faz confusão, Apenas a que não presta, não. Logo por azar, Foi nessa que fui calhar. Uma vida (...)

    Ler mais
  • avatar

    Um poema e uma fotografia - parte XXXIX - João Monge

    Paulo Brites, em paulobritesfotografia28/10/2020 às 16:53

      A GAVETA DO POETA A gaveta do poeta não tem fundo Tem lá tudo o que não quer e aquilo que há-de ser: os alinhavos do mundo Tem postais de mil locais e um resto de maçã Há sempre num canto qualquer logo depois de amanhã um retrato de mulher Tem o caos lá de guarida e um (...)

    Ler mais
  • avatar

    Lágrima

    Filipe Vaz Correia, em canecadeletras28/10/2020 às 11:44

          Lágrima salgada; Com sabor a mar, Nessa onda agitada, Que regressa sem parar...   Lágrima que me pertences; Que é minha, da minha dor; Dessa força que me sufoca,  Que me aquece com o seu calor...   Lágrima insolente; Que te impões ao meu querer, Que corres sempre (...)

    Ler mais
  • avatar

    Fado de quem perdoa

    Rita PN, em contame-historias27/10/2020 às 20:27

    É tão suave ao coração a minha mão, que em gesto nobre se abre para ti, flor – perdão -- por afeição, se algum excesso cometi. É tão simples o que me basta desta estrada onde colapsa a minha razão indigente. Descrente, quem sente, por leveza e docemente em caminhos que (...)

    Ler mais
  • avatar

    Ingovernados

    Silêncios, em silencios27/10/2020 às 14:25

          Estamos (in)governados. Por um bando de gatos-pingados. Com discursos estudados. De fato para cima e cuecas em baixo Levantam as vozes, exibem o facho. Enquanto se morre, eles mexem o tacho. Repartindo entre si, os louvores de uma guerra. Cada vez mais sangrenta e (...)

    Ler mais
  • avatar

    o estado da arte e da cultura - da praxe

    Cecília, em narizdecera27/10/2020 às 09:37

    Aristides e César eram grandes defensores das praxes académicas, um tema agora muito em voga e envolto em bastante polémica. O jornal Público fez uma investigação sobre estas práticas estudantis, e descobriu que já no início do século XX as praxes eram consideradas uma (...)

    Ler mais